quinta-feira, 17 de maio de 2012

A nudez da srta. Dieckmann e o desvelamento da canalhice

Confesso que mal consigo associar o nome Carolina Dieckmann a um rosto. Provavelmente, isso se deve a minha pouca exposição à teledramaturgia brasileira. Mas muita gente, hoje, consegue relacionar o referido nome a partes menos evidentes do corpo. Por quê? Pois é...

É que roubaram as fotos da cidadã e as divulgaram na internet. É que após quatro dias da notícia divulgada, os jornais diziam: "mais de oito milhões acessaram fotos de Dieckmann em quatro dias". Caramba! Não é que eu me assuste com a quantidade de gente querendo ver gente pelada. O que assusta é como a ética se suspende quando o desejo e a curiosidade se aguçam. Para mim, os responsáveis por esses dois milhões de acessos diários são tão canalhas quanto os que roubaram e divulgaram as fotos! Não acha? Vamos transpor o incidente internético para o âmbito concreto. Um canalha faz um buraco na parede do banheiro da sua casa e vê sua filha, esposa, irmã ou mãe tomando banho. Daí, conta pra todo mundo da rua sobre a possibilidade de espiar a nudez. Depois de uns dias, a vizinhança quase toda espiou. Esses que espiaram sabendo que a mulher que se banhava não queria ser espiada não são também uns canalhas?

Então, a diferença é grande. Vamos continuar com essa transposição proposta. Olhar pelo buraco escondido na parede no banheiro é o que fazem os que espiam a srta. Dieckmann, que não queria se mostrar ao público. Ir a um cabaré com show de nudez, com uma mulher que quer se expor por um motivo ou outro, é o que fazem os que visitam sites para ver mulheres que receberam dinheiro para tirar a roupa em ensaios fotográficos. É claro que, do ponto de vista cristão, também essa atitude é altamente condenável, porque trata-se da utilização do ser humano como coisa e de entrega de si mesmo à lascívia. Contudo, o caso de Carolina Dieckmann revela não só um desrespeito à ética cristã ou entrega ao pecado por parte dos curiosos, mas também um total desrespeito ao direito de escolha da mulher, que declarou sentir-se violada pela atitude dos hackers. Uma multidão se aglomera em fila junto ao buraco escondido no banheiro. Sabem que a mulher rejeita a exposição. Mas continuam ali, desrespeitosos, canalhas. Eles deixam a curiosidade e o desejo triunfar sobre a civilidade, a ética e o respeito a outro ser humano.

Enfim, é isso que acabei pensando diante das manchetes e notícias. Agora, a coisa complica, poir começam a chegar notícias de que estão divulgando as fotos por meio de invasões em sites públicos.

"Parece não haver limites para a irracionalidade humana. E com certeza não haverá limites para a justiça de Deus" F.S.

Abraço,

Cesar

4 comentários:

  1. Bom, nunca morri de amores pela carolina,sempre a achei muita estrela por trabalhar na Globo, sempre a achei arrogante, até quando o Vesgo e Ceará invadiram sua privacidade com muito humor, eu a achei muito patricinha se sentindo a intocável. Mas, diante de tudo que ele viveu, não tem desculpa, isso é horrível!! Ser invadida de uma tal maneira absurda, pois ela não pediu isso, ela fez as fotos para seu marido, se sentiu segura em deixar suas fotos em seu pc em casa. E de repente se viu violada. Isso foi demais! E quanto a todos que criticam quem fez e acessam para ver suas fotos são todos iguais sim, concordo contigo Cezar!

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente o aconteceu com ela é mesmo muito triste.
    Apesar de ser uma atriz global ela é acima de tudo um ser que precisa ser respeitado. Assino todas as suas linhas.
    Ah, estou até agora esperando a sua visita, e olha que estou te seguindo. A frase acima dos seguidores me incentivou a segui-lo.
    P.S. Acho que vou colocar também acima dos meus seguidores, quem sabe você não se anima a me seguir... brincadeirinha!!!

    Com amor.
    Em Cristo,

    ***Lucy***

    ResponderExcluir
  3. Como sempre textos pensandos. Parabens

    ResponderExcluir
  4. Rô e Joelson,

    Obrigado pela visita e pelo apoio.

    Lucy,

    Vou visitar seu cantinho já já.

    Abraço,

    Cesar

    ResponderExcluir