segunda-feira, 10 de outubro de 2011

A fé é fundamental para as obras (trecho selecionado da obra de Lutero em lembrança do mês da Reforma)

 Faculdades EST, São Leopoldo, RS

"Aqui cada um pode notar e sentir quando está fazendo algo bom ou não-bom: se seu coração confia que está agradando a Deus, então a obra é boa, mesmo que seja tão insignificante quanto levantar uma palha. Se não há confiança ou existe dúvida de que a obra agrada a Deus, então a obra não é boa, mesmo que ressuscitasse todos os mortos e a pessoa permitisse que fosse queimada. São Paulo ensina isso em Romanos 14.23: 'Tudo que não sucede a partir da fé ou na fé é pecado'. Por causa da fé, e de nenhuma outra obra recebemos a denominação de crentes em Cristo. Esta é a obra principal, pois todas as outras também um pagão, judeu, turco ou pecador pode fazer; mas confiar firmemente que esteja agradando a Deus não é possível senão para um cristão iluminado e amparado pela graça. Estas palavras parecem tão estranhas. Alguns me chamam de herege por isso. É porque eles seguiram a razão cega e a ciência pagã, colocando a fé não acima, mas ao lado de outras virtudes. Atribuem-lhe uma obra própria, isolada de todas as obras das outras virtudes. Na realidade, a fé, sozinha, torna todas as outras obras boas, agradáveis e dignas. Ela confia em Deus e não duvida de que, perante ele, tudo o que a pessoa fizer está bem feito. Sim, eles não deixaram a fé ser uma obra. Fizeram dela um habitus, como dizem, embora toda a Escritura denomine unicamente a fé de boa obra divina. Por isso não causa surpresa que tenham ficado cegos e se transformado em guias de cegos (cf. Mateus 15.14). Esta fé traz consigo imediatamente o amor, a paz, alegria e esperança. Quem confia em Deus recebe instantaneamente o Espírito Santo dele, como diz São Paulo aos gálatas: 'Vocês receberam o espírito não de suas boas obras, mas por terem crido na palavra de Deus' (Gálatas 3.2)." 

Dr. Martinho Lutero, no ano de 1520


Trecho de Das boas obras, também chamado Ética Cristã, retirado da obra publicada pelas editoras Sinodal e Concórdia como parte da coleção "Lutero para Hoje".

2 comentários:

  1. Bárbaro e atualíssimo texto cheio de autoridade!

    Parabéns pela postagem.

    Abraços sempre afetuosos.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado,
    Lutero frequentemente me surpreende também pela atualidade. Isso é bom, porque revela a qualidade do texto. Mas é ruim, porque revela quão pouco melhoramos.
    Abraço,
    Cesar

    ResponderExcluir