domingo, 18 de setembro de 2011

prece


Prece
Cesar M. R.


Por que estás calada?
Por que já não cantas?
Por que já não choras?

Sei que te lancei
visões difíceis de suportar
palavras duras de ouvir
mas, por que não reclamas?

Não farás como outrora,
quando te revoltavas
e, postada para batalha,
blandias palavra afiada?

Farei longo silêncio,
desses de vários versos,
e escutarei.








Espera.
Há sim um som
tímido e sussurrado.
Eu percebo.

Sim, faça mesmo isso!
Ele que habita contigo
neste templo de carne
decerto te escutará

Cá fora, alma,
não te preocupes,
fecharei os olhos
não terei ouvidos

Não tenha pressa.
Aguardo tranquilo
o fim de tua prece.

Nenhum comentário:

Postar um comentário