segunda-feira, 11 de julho de 2011

Sobre a arquitetura das igrejas

Igreja de São Botolfo, Cambridge (Inglaterra).
Diz-se que este templo está em funcionamento ininterrupto desde 1380.


Há poucas semanas, li em um jornal de minha cidade que a Arquidiocese da Igreja Católica Romana de lá (Belo Horizonte) está em vias de iniciar a construção de uma catedral. Tratar-se-á (sentiram a mesóclise?) de uma mega construção cujo projeto arquitetônico é assinado por Oscar Niemeyer. Outra igreja do Niemeyer em BH? - Alguém pode perguntar. Ou assim: Outra igreja projetada por um ateu?

Pessoalmente, acho bonitos os desenhos do Oscar. Embora sempre me lembre de uma aluna arquiteta que dizia: "Os projetos do Niemeyer são bonitos, mas nada funcionais!". Partamos daí rumo ao tema exato deste escrito: a beleza e a funcionalidade dos templos cristãos. Isso mesmo, não vou falar do arquiteto nem da catedral católica-romana. Dele não falo porque não vejo tanto problema em um ateu projetar um templo religioso, contanto que ele, mesmo não crendo, compreenda as necessidades daquela comunidade de fé. Enfim, vamos ao ponto: Como seria o templo ideal para uma igreja no meu entender? Foi a pergunta que me fiz duas vezes ultimamente. A primeira vez que me ocorreu tal questionamento, foi quando me deparei com o projeto do Niemeyer para  a referida catedral (ainda não me livrei de falar disso!). Achei meio estranha a proposta. Grandiosa, mas estranha. Parece um disco voador com uma torre que vai consumir mais material que tudo. E parece que não vai ter sino. Coisas deles. Eles que resolvam. Outra vez que me ocorreu essa pergunta foi ontem. Cruzei esta pequena e bonita cidade de onde escrevo (Cambridge, Reino Unido) e vi mais igrejas que nunca em toda minha vida! É incrível! Tem mais igreja aqui que nas cidades históricas de Minas. E muitas delas são mais antigas que o Brasil. Igrejas Presbiterianas, Batistas, Anglicanas, Reformadas Unidas, Metodistas, Ortodoxas (e outras) disputam lugar nas apertadas ruas daqui. Algumas até estão lado a lado. Há todo tipo de estilo. Torres volumosas e centrais como a da foto contrastam com torres cônicas e estreitas com telhado. Igrejinhas pequenas resistem à imponência da capela do King's College. Tem igreja redonda. Igreja antiga bem conservada. Igreja nova imitando igreja antiga. Igreja antiga que só falta cair.

No meio de tudo isso, gostei muito dessa da foto. Apelidei-a de Igreja de São Bolofredo. É que custo a memorizar o nome do sujeito... Deixa eu conferir a anotação: "St Botolph's Church". É isso aí. É pequena. Tem uma só torre. Um jardim bem cuidado ao lado, com cemitério. De todas que vi, é a que mais se assemelha a meu ideal de templo cristão. Apresento-o abaixo numa enumeração de características propostas com explicação:

- Uma igreja não deve ser muito grande. Deve ter espaço para umas 300 pessoas, não mais. Pois seus membros devem se conhecer e relacionar entre si. Devem caber todos para uma almoço festivo, para um café da manhã especial etc.
- Uma igreja deve ter uma torre. O objetivo não é impressionar pela grandeza. Afinal, Ele, que é imenso, fez-se pequeno para nos salvar. A igreja deve ter uma torre para ser bem sinalizada à vista de todos, para apontar para o Céu e lembrar do transcendente e para lembrar da unidade do Deus triúno e da Igreja Cristã.
- Uma igreja deve ter tijolos ou pedras aparentes, para lembrar que, assim como o templo, a igreja como corpo é formada por diferentes partes que são mutuamente imprescindíveis. Além disso, os tijolos nos lembram que cada membro é um ser humano perecível, vindo do pó e a ele havendo de tornar. Assim, a cada visita, nos lembraríamos que nossa eternidade só subsiste em Deus, não em nós mesmos.
- Uma igreja deve ter uma cruz vazia na fachada ou no interior. A cruz em evidência serve para lembrar a que ponto deve convergir toda a nossa esperança, toda nossa fé, toda nossa pregação: o sacrifício e ressurreição do Cristo.
- Uma igreja deve ter um jardim, pois ali os membros podem ler ou conversar tranquilamente sentados. Ali os temas difíceis de tratar podem ser emoldurados por uma atmosfera mais tranquila.
- Uma igreja deve ter portas amplas, abertas como um convite.

Bem, por enquanto, pensei nisso. O que você acha dessa minha igreja ideal? Tem alguma ideia diferente?

Um abraço,

Cesar

P.S. Mas que façam a Catedral. Elas também devem ter sua função.

Nenhum comentário:

Postar um comentário