domingo, 17 de julho de 2011

A terra santa e a falta de santidade da religião (série opiniões avulsas)

Recebi um e-mail curioso em minha caixa de spam. Tratava-se de uma propaganda de viagens para a "Terra Santa". Em princípio, poderia ser uma estratégia de marketing bem acertada, já que sou cristão e gosto de viajar. Claro, surgem questões sobre como tiveram acesso a meu endereço eletrônico, mas não é sobre isso que quero opinar. O conteúdo da mensagem é que merece um comentário. Ao abrir o anúncio, deparei-me com a seguinte frase:

Ore no Monte Sinai assim como Moisés!

E debaixo o versículo: "E prepara-te para amanhã, para que subas pela manhã ao monte Sinai, e ali põe-te diante de mim no cume do monte" Ex 34:2. Assustador! Será que funciona? Imagino que muitos evangélicos gostariam de orar lá como Moisés e, se possível, receber mais uma tábua da lei com regras que corroborassem aquelas que eles mesmos criaram. Sim, muitos gostariam de orar como Moisés. O problema é que Moisés foi um só. E já foi. A ordem para subir no monte foi cumprida por ele. Ele não passou a vez! Mas lá vêm esses marketeiros de uma figa com essa balela pra tentar ganhar dinheiro com o Monte, que nem mesmo se sabe se é mesmo o Sinai. Aliás, quase tudo que se localiza em Jerusalém como pontos dos relatos da Bíblia se baseia em conjecturas. E lá vão os crentes emocionados chorando sobre "a pedra em que Jesus pisou", sendo que tal pedra foi levada para lá pelos otomanos séculos depois! E lá vão os crentes gastando seu suado dinheiro, pagando pastores e celebridades-gospel que se fazem guias (não do Caminho de Cristo) turísticos, com o intuito de faturar mais rápido que com os dízimos.

Balela. E lá vem a senhorinha do canal gospel lá de Belo Horizonte fazendo um programa inteiro sobre Israel e depois dizendo: "Não tem como explicar como é bom estar em Israel. Só indo pra você saber!" E minutos depois, ela observa: "Ano que vem vou levar minha primeira caravana pra Israel!" Falta cérebro na cabeça dos telespectadores? E, poucos dias depois, é a santa gospel que vem dizendo: "Sempre vou a Israel. Agora, o Senhor me disse para levar essa oportunidade para você também. Venha com o ** nessa caravana..." Ah não, dona! Agora até isso foi o "Senhor" que disse? Enfim, e não são eles somente. Há uma disputa acirrada. Todos os pastores-astros querem levar a galera pra Terra Santa. Todos! Será que tiveram essa ideia depois que o Caio Fabio comentou que chegava a arrecadar centenas de milhares de reais com essas viagens?

É preciso parar! É preciso desmercantilizar a fé. É preciso entender que a tal Terra Santa só é chamada santa por causa de seu significado histórico-religioso. Mas se a tratamos assim como esses pastores a tratam, na verdade, perdemos a noção de santidade da própria religião. Sim, pois a religião deveria estar separada, santificada, dessa exacerbada busca pelo vil metal. Mas, pelo contrário, nós a esvaziamos de todo seu potencial transformador e esclarecedor, e a pasteurizamos e enlatamos como produto aceitável ao paladar sofisticado dos ricos deste mundo e muito mais vendável à nova e velha classe média.

Há uma terra santa muito mais perto do que você imagina. E é muito mais urgente atentar para ela. Terra em forma de gente, vivificada pelo sopro do Eterno: você. Ele criou a humanidade (Tanto macho quanto fêmea. Se bem lido o texto hebraico, percebe-se que adam em Gn 1:27 se refere ao 'ser humano', não ao homem)  à Sua imagem. E, agora, pela fé em Cristo, o próprio Espírito de Deus habita esses montinhos de poeira que passeiam por aí. Terra mais santa que essa? Tem não, viu! Valorize-a. Valorize a obra do Eterno em você, terra feita gente santa, e fuja dos mercadores da fé.

Um abraço!

Cesar

P.S.: Coincidentemente, hoje visitei um lugar de peregrinação (não da cristandade como um todo, mas só dos anglicanos), a catedral de Ely. Felizmente, ali, ao que parece pela experiência que tive, a sacralidade da fé ainda é respeitada, além de valorizada por um ótimo coral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário